04/04/2018

REGISTRO DOS ALUNOS DAS ESCOLAS FAZENDA REDENÇÃO E BAIRRO DO MATÃO - 1956






















OS NOMES ABAIXO ESTÃO REGISTRADOS COMO ALUNOS DAS ESCOLAS REDENÇÃO E BAIRRO DO MATÃO (LISTA DE CHAMADA) DA PROFESSORA NILZA HELENA CASTALDI – ANO DE 1956

ANTONIO GAMA (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
AUGUSTO MARIANOE ENEGILDO (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOÃO MACIEL (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOÃO ANTUNES (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOÃO LOPES (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
RAFAEL SILVESTRE (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
SEBASTIÃO OLIVEIRA (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
NELSON BATISTA (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
IRENE LOPES (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
MARIA ELZA ANTUNES (FAZENDA REDENÇÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOÃO SBEGHE (FAZENDA REDENÇÃO - MARÇO DE 1956 ADIANTE)

ANTONIO OBERDAN MAGANHA (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
ADAUTO MAGANHA (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
FRANCISCO LOPES (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
FRANCISCO TOMÉ (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
GERALDO OLIVATO (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOÃO BATISTA URTULIN (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
CELSO PELEGRIN ROMÃO (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
ALFREDO FERNANDES (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
MANUEL ESTEVES (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
OSMAR SOARES DA SILVA (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
WALTER ROMANHOLI (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
JOSEFA ARAGÃO (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
LUZIA COLA (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
MARIA SENIPE DEMI (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
MARIA ZELMA CASAMASSIMO (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
TEREZINHA GALANTE (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
TEREZINHA ROMANHOLI  (BAIRRO MATÃO - FEVEREIRO DE 1956 ADIANTE)
BERNARDO SOARES (BAIRRO MATÃO – ABRIL DE 1956 ADIANTE)
OTONINO GADIOLI (BAIRRO MATÃO – ABRIL DE 1956 ADIANTE)
FRANCSICO MAGANHA (BAIRRO MATÃO – ABRIL DE 1956 ADIANTE)
NEUSA MEDEIROS NUNES (BAIRRO MATÃO - ABRIL DE 1956 ADIANTE)
GERALDO ATAYDE OLIVEIRA (BAIRRO MATÃO - MAIO DE 1956 ADIANTE)
GENTIL FALASCA (BAIRRO MATÃO - MAIO DE 1956 ADIANTE)
HABOW EMI (BAIRRO MATÃO – AGOSTO DE 1956 ADIANTE)




28/02/2018

UMA SANTA PASSOU POR SÃO MANUEL

Madre Paulina

Primeira mulher a ter a sua santidade reconhecida universalmente pela Igreja Católica em terras brasileiras, Madre Paulina do Coração Agonizante de Jesus – hoje, invocada pelos católicos como Santa Paulina – visitou São Manuel nas décadas de 1920 e 1930.
A revelação consta no livro “Madre Paulina – Uma santa passou por Avaré”, do pesquisador Gesiel Júnior, publicado pela Editora Gril, em 2002, ano da canonização da italiana Amábile Lúcia Visitainer, nascida no Tirol, no povoado trentino de Vigolo Vattaro, em 16 de dezembro de 1865.
Amábile imigrou ao Brasil em 1875, tendo se fixado com sua família no Vale do Itajaí, em Santa Catarina. Em 1890, ela saiu da casa paterna para cuidar de uma doente, quando abriu um pequeno hospital, iniciou sua vida como freira e adotou o nome de irmã Paulina. Transferiu-se para São Paulo em 1903, como superiora geral, tempo em que a sua congregação começou a cuidar de asilos e a acolher antigos escravos abandonados.
Na região, madre Paulina primeiramente trouxe religiosas para Avaré em 1913, a pedido do advogado Manoel Marcellino de Souza Franco, o popular Maneco Dionísio, fundador das conferências vicentinas e do primeiro hospital da cidade.

“Por cinco vezes, nos anos de 1921, 1926, 1927, 1930 e 1932, madre Paulina fez visitas canônicas à cidade de São Manuel, onde a Congregação das Irmãzinhas da Imaculada Conceição, por ela fundada, dirigiu a Casa Pia São Vicente de Paulo, a partir de 10 de maio de 1916”, informa Gesiel, que também diz que os diretores dessa casa de saúde, aconselhados por Maneco, pediram ao arcebispo de São Paulo o envio de freiras para responderem pelo serviço de enfermagem.
No mesmo ano de 1916, num prédio anexo ao futuro hospital, as seguidoras de Santa Paulina abriram um jardim da infância e um pequeno externato. Elas atuaram em São Manuel por mais de 60 anos, tendo encerrado as atividades em janeiro de 1979.

“Poucos são-manuelenses sabem que uma santa passou temporadas em São Manuel, pois madre Paulina se dedicava aos doentes na mais absoluta discrição”, comentou o historiador de Avaré.  


26/02/2018

1954 - MATÉRIA DE JORNAL - TÊNIS CLUBE - SÃO MANUEL


FOTO DO JORNAL CORREIO DE SÃO MANUEL EM 21 DE JANEIRO DE 1954 TIRADA NO SAUDOSO E FINADO SÃO MANUEL TENIS CLUBE ONDE APARECEM, RICHETTI, VALDO RAGAZZI, SILVIO LIMA, MARCO ANTÔNIO E CAÇÃO.

18/01/2018

07/12/2017

CARNAVAL EM SÃO MANUEL - 1935


CARNAVAL REALIZADO NO SALÃO DO HOTEL PAULISTA EM SÃO MANUEL NO ANO DE 1935 DENTRE TODAS AS PESSOAS A ÚNICA IDENTIFICADA É O DE CAMISA LISTRADA SENTADO TRATA-SE DO SENHOR PIPO PASCON


COLABORADOR DONEZETI

30/11/2017

ALFREDO GUEDES SOFRE A PIOR DETERIORAÇÃO DE SUA HISTÓRIA.

  

    Algum tempo venho acompanhando de perto o descalabro e a efetiva deterioração da história guedense, não sou do local, não moro no local, na verdade moro no Município de São Manuel, no entanto devo confessar que ao conhecer o pequeno distrito me apaixonei de pronto.
         Lugar fantástico, de gente de bem, onde se conhece a todos, dentre minha ligação é profunda.
      Tenho a ressaltar e já disse da incompetência do
prefeito eleito Prado, homem que avaliei em primeiro tempo ser de séria conduta, hoje devo criticá-lo pela total inépcia a frente do comando da prefeitura lençoense.
    O distrito de Alfredo Guedes vem se afogando cada vez mais pela falta de gerenciamento de seu comandante, aliado isto a nomeação de seu lacaio  e criado Ticianelli que ao ver não tem condições estruturais de tomar a frente o comando do referido distrito.
                        É certo que em muito, os municípios brasileiros vêm sendo governados por amadores, senhores que prolatam palavras importantes antes das eleições, induzindo o eleitor a erro, ao assumir um amadorismo tremendo. O município de Lençóis hoje se estagna na falta de estrutura cognitiva a qual o referido prefeito conduz os destinos deste município. Perdido em suas convicções soçobra em si mesmo comandando como se um general sem patente fosse.
                        Não devo asseverar críticas infundadas aqui, nem ao menos fazer um juízo de valor à sua pessoa, a qual não conheço, mais devo estampar aqui minha indignação ao senhor prefeito e sua corte principalmente ao seu criado fiel que toma conta a frente da Alfredo Guedes, todos de forma geral deficitários em suas gerências.
Foi o que dissemos meses atrás sobre o desastroso asfaltamento de Alfredo Guedes, sem planejamento, sem estudo financeiro foi efetivado de forma parcial... deixando jogado nas ruas por meses tubulações pluviais.

Ora senhor prefeito, onde está a capacidade gerencial prolatada em campanha, você mentiu? Cadê a tão sonhada diretoria formidável que apregoava aos quatro cantos? Onde está seu planejamento das coisas?
Já afirmei várias vezes, a população precisa tomar consciência disto, quando você vota para prefeito você na verdade está contratando um gerente, uma pessoa que vai administrar por quatro anos os recursos financeiros do município, retornando-os em melhoria, satisfação e evolução do município, voto é contrato.
Ocorre que ao contratar este prefeito lençoense para gerir os anseios do município veio também a soma do amadorismo gerencial. É pena pois reafirmo, embora não o conheça, acreditava que ao menos Alfredo Guedes escaparia das garras nocivas de sua administração, o que não aconteceu. O abandono e desprezo pelo distrito é total.
Rogo a Câmara Municipal de Lençóis Paulista, principalmente nas pessoas os vereadores LEONARDO HENRIQUE DE OLIVEIRA (O DUDU DO BASQUETE) e PAULO HENRIQUE VITAGLIANO, que cobrem, investiguem, e se possível demitam este que ao meu ver foi um dos maiores erros de contratação de Lençóis Paulista, o prefeito lençoense.

Dificilmente estampo em meu blog protestos desta monta, não é político e sim de resgate de memória, no entanto devo denotar minha revolta ao entender que devemos e temos o direito de ter muito mais do que isto. O que acontece em Lençóis é muito pouco diante a expectativa oferecida.
Não me venham os conservadores e hipócritas dizer que porque sou de um lugar não posso falar de outro. Posso como estou falando agora, pois a memória e o respeito aos antepassados é universal.
Devo declarar que a exemplo de minha pessoa muita gente de fora está de olho no descaso com que trata as coisas de Alfredo Guedes.

                         Não se trata aqui de uma crítica pessoal, e sim administrativa, não duvido das boas intenções mais sim da capacidade de gerenciamento na condução do Município de Lençóis Paulista onde o Prefeito Prado está deixando muito a desejar.


19/09/2017

2004 - ORIUNDI - NAS TERRAS DO PARAÍSO


          Ninguém contou tão bem a saga dos imigrantes italianos em São Manuel, este livro é o melhor escrito sobre São Manuel e região, é incrível perceber que uma obra tão bem redigida, com uma fundamentação de pesquisa cientifica e histórica, ficou renegada na obscuridade por tanto tempo. O que digo é verdade pois muitos cidadãos desconhecem a obra de seu Sebastião Geraldo Brollo.   
          Hoje tenho a felicidade de trazer a tona, para que todos possam apreciar e pesquisar o referido livro.  











































































































































































































































































































































































FONTE DE PESQUISA BIBLIOTECA FRANCISCO CÂMARA FERREIRA -SÃO MANUEL-SP
COLABORADOR - RAFAEL SOBRAL DESOTTI